sábado, julho 2, 2022

Latest Posts

Governo do Estado lança Programa Bahia Competitiva

Mais investimento em ciência, tecnologia e inovação em prol de baianos e baianas. Esse é um dos princípios do Programa Bahia Competitiva, foi lançado pelo governador Rui Costa, na  terça-feira (12), no Salão de Atos da Governadoria. O objetivo do programa é aumentar a competitividade do estado, gerar emprego, renda e melhorar e diversificar nossa base de arrecadação. O lançamento contou com a presença da secretária interina de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Mara Souza, do diretor Geral da Fundação de Amparo à Pesquisa da Bahia (Fapesb), Márcio Costa, e demais autoridades.

O Bahia Competitiva é composto por 5 projetos e 14 subprojetos que, articulados, colocarão a Bahia em situação privilegiada em termos de atração de empresas, geração de novos negócios, competitividade, emprego e renda. As áreas prioritárias do programa envolvem saúde, educação, agricultura, cidades e desenvolvimento econômico. Neste primeiro momento, serão apresentadas à população e à imprensa as ações do Bahia Competitiva vinculadas à área de Desenvolvimento Econômico. Posteriormente, em datas a serem divulgadas, Secti e Fapesb lançam as demais iniciativas.

Entre os projetos lançados hoje estão o “Empresa 4.0” e os “Institutos Estaduais de Referência em Ciência e Tecnologia da Bahia (Incite)”. O primeiro conta com investimentos de mais de R$ 10 milhões, enquanto o segundo tem recursos na casa dos R$ 30 milhões. O Empresa 4.0 trata do incentivo à inovação e transformação digital nas empresas com atuação no estado baiano, aumentando a produtividade e competitividade com uso de novas tecnologias, beneficiando 220 empresas, entre micro, pequena e médio porte.

Já o Incite marca um novo momento no financiamento do ensino, pesquisa e extensão na Bahia. Serão estruturas virtuais em rede com objetivo de diagnosticar e elencar os principais problemas do Estado em cada uma das quinze áreas estratégicas presentes no edital. Tais estruturas deverão ser montadas tendo como base o desenvolvimento e uso de laboratórios compartilhados, pesquisa e formação em rede, valorização das estruturas de interação com os diversos atores da sociedade civil organizada, os governos, cooperativas, associações, e resultados práticos, científicos, tecnológicos, sociais e no campo das inovações.

O governador Rui Costa afirmou que o programa Bahia Competitiva, somados todos os editais, terá um investimento total de R$ 80 milhões. “É um investimento do estado em ciência e tecnologia que nós queremos apostar e a minha orientação, desde que assumi, é que a gente busque fazer da Bahia um dos estados que mais investe. Isso tudo representa a nossa crença e o conceito que desenvolvimento vem com educação, com ciência e tecnologia, que o mundo competitivo que está aí fora requer um país que invista mais em ciência e pesquisa, em desenvolvimento técnico, em formação de uma mão de obra compatível com esse desenvolvimento”.

Para a secretária Mara Souza, o lançamento do programa é motivo de orgulho e de alegria por apoiar áreas tão primordiais ao desenvolvimento da sociedade. “Esse programa nos ajuda a interiorizar ainda mais nossas ações em parceria com a Fapesb. Temos em seu propósito pensar o futuro e trazer soluções para os problemas de agora, mas também de trazer soluções de forma mais ampla das tecnologias voltadas para as competências necessárias para o desenvolvimento do futuro”, disse, projetando forte engajamento das universidades, empresas e dos municípios a partir do momento em que cada subprojeto for lançado.

O diretor Geral da Fapesb explica que o Edital Empresa 4.0 visa apoiar o desenvolvimento de projetos cooperativos entre as Instituições de Ciência e Tecnologia da Bahia e empresas que utilizam tecnologias habilitadoras, ou seja, um conjunto de tecnologias portadoras de futuro de forma a promover a inovação, a formação de pessoas e o desenvolvimento de tecnologias que aumentem a competitividade do Estado. “Serão alocados para esse edital, recursos financeiros não reembolsáveis no valor de R$ 10 milhões. As propostas deverão ser submetidas com o valor de até R$ 300 mil devendo ser executadas em um prazo máximo de até vinte e quatro meses”.

O Edital Incite possui três eixos, o social, o tecnológico e o de desenvolvimento econômico. O diretor de Inovação da Fapesb, Handerson Leite, destaca que “no eixo social foram consideradas áreas de educação, segurança pública, economia solidária e empreendedorismo social, além dos governos. No segundo eixo são priorizadas tecnologias transversais, como indústria 4.0, computação avançada e nanotecnologia. Finalmente, o eixo de desenvolvimento econômico contempla as áreas de energias renováveis, como economia verde, economia criativa, tecnologias de saúde, agricultura familiar, agronegócios, tecnologia de alimentos e mineração”.

A expectativa é que o Edital Incite passe a ser referência na sua área de atuação, favorecendo o desenvolvimento, a elaboração e execução de políticas públicas baseadas em evidências, o fortalecimento das instituições de ensino e pesquisa, produção de inovações, além de ajudar na internacionalização dos programas de pós-graduação da Bahia. Os interessados podem acessar a aba editais do site da Fapesb para obter mais informações.

Fonte: Ascom/Secti

Foto: Gabriel Pinheiro/Secti

Latest Posts

spot_imgspot_img

Don't Miss

Stay in touch

To be updated with all the latest news, offers and special announcements.